Saltar para o conteúdo


Por Raimundo Carvalho

Youssef diz a Eliziane que dinheiro de propina chegou ao governo do Maranhao

CURITIBA – Em depoimento prestado à CPI da Petrobras, nesta segunda-feira (11), na capital paranaense, o doleiro Alberto Youssef confirmou ter repassado propinas oriundas do esquema de precatórios à então governadora do Maranhão, Roseana Sarney. Ao responder a deputada Eliziane Gama (PPS-MA), Youssef afirmou que os recursos foram entregues ao então chefe da Casa Civil do estado, João Abreu.

“O dinheiro chegou ao Maranhão. Foram R$ 3 milhões. Deste total, cerca de R$ 1,4 milhão foram entregues por mim”, disse o depoente.

O doleiro acrescentou que a propina também foi enviada por intermédio do irmão do então ministro Mário Negromonte, Adarico Negromonte.

O depoimento de Youssef foi o primeiro de um total de 13 que serão tomados pelos deputados até a próxima terça-feira (12).

Refinaria

Ao responder Eliziane Gama, Alberto Yousseff também revelou à CPI da Petrobras que houve pagamento de propinas a empresas e a políticos para a viabilização da construção da refinaria Premium I, que seria erguida no município maranhense de Bacabeira.

O doleiro disse que operou em negócios ilícitos com líderes do PP, PMDB e PT. No Maranhão, Youssef revelou que o primeiro vice-presidente da Câmara, deputado Waldir Maranhão (PP-MA), recebeu propinas da corrupção da Petrobras.

Outros poderes

A deputada do PPS também quis saber se, além de representantes do alto escalão do governo federal e do Congresso Nacional, havia participação, no esquema revelado pela Lava Jato, de membros de Tribunais de Contas ou do Judiciário.

Youssef respondeu que não soube nada a este respeito.

Ex-ministros

Eliziane Gama cobrou da CPI a necessidade de aprovação de requerimentos no colegiado que pedem a convocação dos ex-ministros de Lula e Dilma Antonio Palocci e José Dirceu, que teve o mandato cassado e foi condenado no processo do mensalão. Ambos estão sendo investigados no âmbito da Lava Jato.

“No último fim-de-semana, houve material farto divulgado na imprensa que complica a vida do senhor Palocci. Há aqui a necessidade de aprovar urgentemente a convocação do ex-ministro”, finalizou.

Luis cardoso


Por Raimundo Carvalho

Nelma Kodama esta sendo ouvida pela CPI da Petrobrás

Uai
São Paulo e Curitiba, 12 - "O Brasil é movido a corrupção", afirmou na manhã desta terça-feira, 12, a doleira Nelma Penasso Kodama, condenada a 18 anos de prisão nos processos da Operação Lava Jato, em depoimento à CPI da Petrobras, em Curitiba. "Uma vez que parou a corrupção, parou o Brasil. Faltou água, é a Lava Jato. Subiu a energia, foi a Lava Jato", afirmou Nelma, que é doleira confessa e está presa em Curitiba, desde que foi deflagrada a operação, quando tentava embarcar para a Itália com 200 mil euros escondidos na calcinha.
"Uma corrupção cobre a outra corrupção. É o que chamamos no meu mercado de bike. Um santo cobrindo o outro. Quebrou o vício, o círculo, aí o País entrou em crise. O País entrou em uma recessão", afirmou Nelma.
Conhecida como 'Dama do Mercado', ela foi condenada pelo juiz federal Sérgio Moro, que conduz os processos da Lava Jato, a 18 anos de prisão e multa por liderar um esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas que teria movimentado de forma fraudulenta R$ 221 milhões em dois anos e enviado para o exterior outros de U$S 5,2 milhões por meio de 91 operações de câmbio irregulares.
"Eu tenho vergonha de dizer hoje que sou doleira, de ter participado disso tudo. Eu admiro a atuação do juiz federal Sérgio Moro, mesmo sendo condenada a uma pena pesada. Eu o admiro, eu acho que estão tentado virar, falando que há desemprego, recessão, porque pararam as obras", afirmou a doleira.
"Se for necessário que haja desemprego ou recessão para acabar com corrupção… vamos lá, somos brasileiros."
Nelma está detida em Curitiba desde março de 2014, quando foi presa com 200 mil euros na calcinha tentando embarcar para a Itália. Ela começou a prestar depoimento aos deputados da CPI da Petrobrás, em Curitiba, por volta das 10h da manhã desta terça-feira, 12.
Os parlamentares estão na capital do Paraná para ouvir 13 alvos das investigações que estão presos.
"Eu sou doleira, comprava e vendia moedas no mercado negro. E isso vai constar no termo de colaboração que estou firmando", afirmou a doleira.
O imparcial


Por Raimundo Carvalho

Deputado-Waldir-MaranhãoO doleiro Alberto Youssef disse que o vice-presidente da Câmara, deputado Waldir Maranhão (PP-MA), recebeu dinheiro oriundo de propinas pagas por empresas contratadas pela Petrobras.

“Não dá para dizer que esse dinheiro vinha do contrato A ou B. Era um somatório dos contratos”, disse Youssef.

O pagamento a Waldir Maranhão teria sido feito diretamente pelo doleiro, dentro do esquema de pagamento a deputados do PP, coordenado pelos líderes do partido na Câmara. A informação foi uma resposta a pergunta da deputada federal Eliziane Gama (PPS-MA), que queria saber quais políticos receberam propina por contratos feitos pela Petrobras para construir as usinas Premium 1 e 2.

Youssef também mencionou no depoimento o nome do presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Segundo ele, o empresário Júlio Camargo pediu que pagasse a propina ao empresário Fernando Soares, que seria o operador do PMDB, para evitar que Cunha pedisse informações sobre o contrato da Petrobras com a empresa Toyo pelo aluguel de sondas pela Petrobras.

Blog do Luis Pablo.


1

Por Raimundo Carvalho

festival de premios rigo telesO deputado Rigo Teles (PV) promoveu, no sábado (9), no Espaço Cultural da Avenida Rio Amazonas no Bairro Trizidela, uma mega festa para comemorar Dias das Mães em Barra do Corda, um dos mais importantes municípios da Região Centro-Sul do Maranhão. Esse ano, Rigo Teles homenageou todas as mães da sede.

A mega festa, considerada a maior e mais importante da história do Município de Barra do Corda para homenagear as mães, lotou todas as dependência do Espaço Cultural da Avenida Rio Amazonas. Segundo cálculos da Polícia Militar, mais de 15 mil mães prestigiaram a importante homenagem.

Na avaliação das mães e das autoridades presentes, a mega festa demonstrou a grande força do grupo político do deputado Rigo Teles, comandado pelo ex-prefeito Manoel Mariano de Souza, o “Nenzim”, considerado pela população o melhor prefeito da história de Barra do Corda e da Região Centro-Sul do Maranhão.

BRINDES E POUPANÇAS

Os preparativos para homenagear as mães começaram três dias antes, na quinta-feira (7), na sexta-feira (8) e no sábado (9), véspera do Dias das Mães, quando foi realizada a festa que marcou Barra do Corda. Foram distribuídos 22 mil cupons para sorteio, de casa em casa, em todos os bairros de Barra do Corda.

Na noite de sábado, entre 18h e meia noite, aconteceram os sorteios de 300 brindes para as mães presentes, dentre eles ferros elétricos, panelas de pressão, liquidificadores, fogões de cinco bocas, fornos micro-ondas, TV de LED de 40 polegadas, geladeiras duplex, ventiladores e quatro poupanças: uma de R$ 5 mil, duas de R$ 2 mil e 500 e uma de1 mil.

Em pronunciamento na tribuna da Assembleia, o deputado Rigo destacou o sucesso da mega festa, e agradeceu a participação da esposa, Abigail Cunha, da mãe, Dona Santinha, do pai, “Nenzim”, do Irmão, Pedro Teles,do vereador Dora Nogueira, Chico do Rosário,das vereadoras Nilda barbalho, Graça do Ivan, vários suplentes e mais de uma centena de amigos e amigas que contribuíram voluntariamente na distribuição dos cupons.

Blog do Luis Cardoso


Por Raimundo Carvalho

saida-310x183O juiz José Ribamar D’Oliveira Costa Júnior, da 2ª Vara de Execuções Penais de São Luís, assinou portaria na qual autoriza a saída temporária de apenados para passarem o dia das mães em casa. De acordo com o documento, a saída será nesta sexta-feira (8) e o retorno dos presos será no dia 14 de maio. Serão beneficiados 262 detentos.

A portaria estabelece que os contemplados não poderão ingerir bebidas alcoólicas, deixar o Maranhão, permanecer fora de casa após às 20h, portar armas, e frequentar bares, festas ou similares.

A saída temporária é regulamentada pela Lei de Execuções Penais, nos artigos 122 e 123. Os referidos artigos versam que os condenados que cumprem pena em regime semiaberto poderão obter autorização para saída temporária do estabelecimento, sem vigilância direta, nos seguintes casos: visita à família; frequência a curso supletivo profissionalizante, bem como de instrução do 2º grau ou superior, na Comarca do Juízo da Execução; participação em
atividades que concorram para o retorno ao convívio social.

Sem retorno

Na última saída, 276 presos foram beneficiados para sair no feriado da páscoa, mas 54 não retornaram aos presídios em São Luís e Paço do Lumiar. O número elevado representa 20% dos beneficiados.

O benefício da saída temporária é permitido para presos que apresentam bom comportamento, já cumpriram uma parte da pena e estão no regime semiaberto. Além do Dia das Mães, eles têm o benefício na Páscoa, Dia dos Pais, Dia das Crianças, Natal e Ano Novo. Ao todo, são cinco saídas ao ano.

blog do luis cardoso


Por Raimundo Carvalho

1474929Nas últimas semanas ganhou força na opinião pública o debate sobre a redução maioridade penal. À primeira vista o que parece acontecer é uma discussão entre dois tipos de pessoas: as que pretendem punir menores infratores e as que não acham que essa é a melhor saída. O debate não é tão simples assim e precisamos olhar a coisa sem paixões.

Como membro da Comissão de Constituição e Justiça, votei à favor da admissão do projeto que prevê mudanças na lei atual. Agora ele que passou pela comissão, ele deve entrar em debate no plenário.

Na ocasião, fiz questão de deixar claro que meu voto foi embasado em uma certeza simples, a de que não podemos mais conviver com a impunidade. Eu não me referia a pequenos crimes, deixo isso claro. Acredito na ideia de que nossas crianças e jovens devem ser educados e que todo o esforço para que sejam tirados do mundo do crime deve ser tentado. Uma criança ou adolescente em situação de risco deve ter todas as chances possíveis para se ressocializar. E isso da maneira menos traumática possível. O que, obviamente, não significa o ingresso no sistema penitenciário.

Contudo, não podemos nunca aceitar a hipótese de que todos os adolescentes que cometem crimes são iguais e que seus delitos são os mesmos. É nessa parte que uma parcela significativa das pessoas se confunde e perde o fio da meada do debate sobre a redução da maioridade penal.

No início do mês de abril o estudante Rafael Serra Santos, de 26 anos, foi morto no centro de São Luís por dois menores. Tinha uma vida pela frente e foi executado de forma cruel. Milhares são mortos da mesma forma por adolescentes que já haviam matado antes e vão tornar a matar depois.

Não podemos colocar na mesma situação uma criança em situação de risco que cometeu um pequeno delito e um adolescente criminoso que, na certeza da impunidade, comete os atos mais cruéis. As coisas são muito diferentes.
Crimes hediondos como estupro, sequestro, latrocínio, homicídio com uso de extermínio, lesão corporal grave que provoca incapacidade permanente e homicídio qualificado não podem ser considerados simples desvios causados por situação de risco ou imaturidade. E o que dizer quando estes crimes são cometidos duas, três, quatro, cinco, dez vezes?

Será que é justo, em nome de uma compaixão inexplicável, permitir que um agente que cometa esses crimes fique solto? Será que é justo com as famílias dessas vítimas ter que conviver para sempre com a certeza de que o autor de tanta dor sofreu apenas uma medida socioeducativa como punição?

Não, isso não é justo. Em qualquer lugar do mundo não é. E, em minha opinião, menos justo ainda é em um lugar onde os números destes crimes cometidos por adolescentes cresce mais e mais a cada dia.

Como deputado irei sempre lutar para defender a oportunidade de crianças e adolescentes que por um motivo ou outro se desviam do caminho certo. Da mesma forma, vou lutar incansavelmente para que criminosos cruéis sempre sejam punidos por seus crimes.

*André Fufuca é deputado federal


Por Raimundo Carvalho

prefeitos-envolvidos-agiotagem-prefeituras-maranhao-1247x540-640x277Subiu oficialmente para 52 gestores – entre prefeitos e ex-prefeitos – o número de investigados pela polícia por participação direta no esquema de agiotagem e desvio de recursos públicos da merenda escolar, medicamentos, e do aluguel de máquinas e carros no Maranhão.

Documentos apreendidos nas operações “Morta Viva” e “Marajá”, contra agiotagem e desvio de verba pública em prefeituras do Maranhão

Documentos apreendidos nas operações “Morta Viva” e “Marajá”, contra agiotagem e desvio de verba pública em prefeituras do Maranhão

O aumento no número de investigados se deu após desdobramentos das operações “Imperador”, “Morta Viva” e “Marajá”, que descobriu o envolvimento de mais três prefeitos com a máfia dos agiotas Gláucio Alencar; Eduardo Costa Barros, o Eduardo DP; e Josival Cavalcante da Silva, mais conhecido como “Pacovan”.

Até o balanço da Operação Detonando, que originou as três últimas, apenas 41 prefeitos e ex-prefeitos eram suspeitos de participar da quadrilha que pode ter desviado mais de R$ 100 milhões dos cofres municipais.

Os novos suspeitos de locupletar dinheiro público para pagar empréstimos a juros contraídos em campanha, segundo investigações da Polícia Civil e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), são os prefeitos e ex-prefeitos de:

São Mateus, Miltinho Aragão; Bacuri, Richard Nixon; Riachão, Crisogono Vieira; Pedro do Rosário, Irlan Serra; Marajá do Sena, Perachi Roberto Farias; Matinha, Beto Pixuta; Governador Nunes Freire, Indalécio Fonseca; São Bento, Carrinho; Coroatá, Luis da Amovelar; Olinda Nova do Maranhão, Conceição Campos; e de Codó, Zito Rolim.

Ambos tiveram encontrados cheques em posse do trio de agiotas ou celebraram contratos milionários com duas construtoras e uma distribuidora de medicamentos registradas em nome de laranjas. Eles devem ser chamados para depor nos próximos dias ou terem o pedido de prisão temporária decreta em seu desfavor.

Confirmação de lista

Apesar do surgimento de novos nomes, a prisão da ex-prefeita de Dom Pedro, Arlete Pontes; e do prefeito de Marajá do Sena, Edivan Costa (PMN) – além do pedido de prisão do ex-prefeito de Zé Doca, Natim -, confirma a veracidade da lista vazada da Seic e da Gaeco.

Segundo a lista, que continha apenas 41 nomes, os gestores investigados na máfia da agiotagem e desvio de recursos comandaram os municípios arrolados durante o período de 2009 a 2012, ou estão no poder atualmente.

Abaixo, a nova lista de 52 prefeitos e ex-prefeitos suspeitos de escamoteamento de dinheiro pública por meio da Máfia da Agiotagem,:

1 – Sebastião Lopes Monteiro (Apicum­-Açu)
2­ – Leão Santos Neto (Arari)
3 – Richard Nixon Monteiro dos Santos (Bacuri)
4 – Raimundo Nonato Lisboa (Bacabal)
5 – José Farias de Castro­ (Brejo)
6 ­– Francisco Xavier Silva Neto (Cajapió)
7 – José Haroldo Fonseca Carvalho­ (Cândido Mendes)
8 – José Martinho dos Santos Barros­ (Cantanhede)
9 – Humberto Ivar Araújo Coutinho­ (Caxias)
10 – José Rolim Filho ­(Codó)
11 – Soliney de Sousa e Silva ­(Coelho Neto)
12 – Luís Mendes Ferreira ­(Coroatá)
13 – José ­Francisco Pestana (Cururupu)
14 – Maria Arlene Barros Costa­ (Dom Pedro)
15 – Indalecio Wanderley Vieira Fonseca (Governador Nunes Freire)
16 – ­Raimundo Almeida (Lago Verde)
17 – Jorge Eduardo Gonçalves de Melo­ (Lagoa Grande)
18 ­–João Cândido Carvalho Neto (Magalhães de Almeida)
19 ­– Manoel Edvan Oliveira da Costa (Marajá do Sena)
20 ­– Perachi Roberto Farias (Marajá do Sena)
21 ­– Marcos Robert Silva Costa (Matinha)
22 ­– Joacy de Andrade Barros (Mirador)
23 – José Lourenço Bonfim Júnior­ (Miranda do Norte)
24 –­ Ivaldo Almeida Ferreira (Mirinzal)
25 – Iara Quaresma do Vale Rodrigues (Nina Rodrigues)
26 –­ Conceicao de Maria Cutrim Campos (Olinda Nova do Maranhão)
27 –­ Glorismar Rosa Venancio (Paço do Lumiar)
28 – Enoque Ferreira Mota Neto (Pastos Bons)
29 – Tancledo Lima Araújo (Paulo Ramos)
30 –­ José Irlan Souza Serra (Pedro do Rosário)
31 –­ Maria José Gama Alhadef (Penalva)
32 –­ Henrique Caldeira Salgado (Pindaré Mirim)
33 ­– José Arlindo Silva Sousa (Pinheiro)
34 – Crisogono Rodrigues Vieira (Riachão)
35 – Marconi Bimba Carvalho de Aquino (Rosário)
36 ­– Márcio Leandro Antezana Rodrigues (Santa Luzia)
37 – José Nilton Marreiros Ferraz (Santa Luzia do Paruá)
38 – Carlos Alberto Lopes Pereira (São Bento)
39 – Sebastião Fernandes Barros (São Domingos do Azeitão)
40 – Kleber Alves de Andrade (São Domingos do Maranhão)
41 – Alexandre Araújo dos Santos­ (São Francisco do Brejão)
42 – Luiza Moura ­da Silva Rocha (São João do Sóter)
43 – João Castelo Ribeiro Gonçalves (São Luís)
44 – Hamilton Nogueira Aragão (São Mateus)
45 –­ Leocádio Olímpio Rodrigues (Serrano do Maranhão)
46 –­ Juvenal Leita de Oliveira (Sucupira do Riachão)
47 ­– Maria do Socorro Almeida Waquim (Timon)
48 –­ Domingos Sávio Fonseca Silva (Turilândia)
49 – Raimundo Nonato Abraão Baquil­ (Tutoia)
50 – Abnadab Silveira Léda­ (Urbano Santos)
51 –­ Miguel Rodrigues Fernandes (Vargem Grande)
52 –­ Raimundo Nonato Sampaio (Zé Doca)

Blog do Luis Cardoso


1

Por Raimundo Carvalho

IMG-20150506-WA0045-175x310Na guerra contra a bandidagem, ao que parece, os policiais militares não estão levando muita vantagem, notadamente no interior do Maranhão.

Por dois simples motivos: o contingente dos bandidos é superior aos dos PMs e o poder de fogo não se compara.

Hoje mais dois militares foram baleados no povoado Bau, que fica numa estrada entre as cidades de Timon e Caxias.

Os soldados Jhamys e Thiago foram atingidos quando os bandidos passando pelo local atirando.

Já no período dama manhã um vigilantes em São Luís foi assassinado.

Com informações do Blog de Luis Cardoso.


Por Raimundo Carvalho

A campanha acontece no período de 4 a 22 de maio, sendo dia 9 de maio, o dia "D" de mobilização nacional.

1_20150430133055386575a-6252A Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza deste ano acontece no período de 4 a 22 de maio, sendo dia 9 de maio, o dia “D” de mobilização nacional. Realizada pela 17ª vez, a campanha tem como meta no Maranhão, vacinar 1.521.171 pessoas, distribuídas entre os seguintes grupos: idosos com 60 anos ou mais; trabalhadores da saúde; povos indígenas; crianças na faixa etária de seis meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses, 29 dias); gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto); grupos de portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais; população privada de liberdade, além de funcionários do sistema prisional.
No dia “D” funcionarão em todo Estado, aproximadamente, 1.794 postos de vacinação. A ação contará com a participação direta de 8.406 profissionais de saúde e voluntários. O Maranhão recebeu 1.655.740 doses de vacinas do Ministério da Saúde (MS). Em 2014, foram vacinadas 1.385.642, uma cobertura de 88,36%. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, estima-se que a influenza acomete 5 a 15% da população, causando entre três e cinco milhões de casos graves e 250.000 a 500.000 mortes todos os anos.
De acordo com a Chefe do Departamento de Imunização da SES, Maria Helena Almeida, o Maranhão, por determinação do governador Flávio Dino, se preparou para esta campanha. “Nós realizamos seminário para sensibilização da Campanha contra Influenza 2015 com os coordenadores de Imunização dos municípios, para que em todas as cidades do estado, a campanha ocorra dentro da meta e as pessoas que estão no grupo de vacinação, sejam imunizadas”.
Segundo o MS, a vacina é a melhor estratégia disponível para a prevenção da influenza e suas consequências. A influenza é uma doença respiratória infecciosa de origem viral, que pode levar a complicações graves e ao óbito, sobretudo os grupos de alto risco, como idosos, gestantes, entre outros.
O Imparcial Online


Por Raimundo Carvalho

Há muito tempo que o Município de Marajá do Sena é um celeiro de prefeitos corruptos e envolvidos com agiotagem. A cidade nunca cresceu e uma das principais razões é atuação de agiotas que sugam o dinheiro dos cofres da prefeitura.

flavio-dino-e-dedé-macedo-3O ex-prefeito Luis Abreu, por exemplo, sempre empenhou Marajá do Sena aos agiotas. Donos de ex-supermercado na capital tiveram que tomar uma casa do ex-prefeito, mesmo depois dele ter pago quase 10 vezes mais que o valor da dívida.

Luis Abreu foi obrigado a entregar uma fazenda para o maior agiota da época, tem uns 15 anos, o empresário Dedé Macedo, que hoje figura como o maior avalista financeiro da campanha eleitoral do governador Flávio Dino.

Nos últimos seis anos, Macedo teve que se retrair do mercado da agiotagem no Maranhão para evitar ser preso por seus antes aliados e agora inimigos, o grupo Sarney.

O empresário, além de acumular fortuna no ramo da agiotagem, é criador, tem atuação no ramo hoteleiro e por último se envolveu no mundo das badalações noturnas, mas já vendeu sua parte na Pink Elephant em São Luís.

Enquanto ele e outros fizeram fortuna, municípios como Marajá do Sena ostentam os piores índices de pobreza e abandono.

Blog do Luis Cardoso