Saltar para o conteúdo


Pela primeira vez o grupo Sarney se divide numa eleição para governador

Escrito por Raimundo Carvalho

Em toda a história política do Maranhão, desde que foi criado o grupo liderado pelo então governador José Sarney, todos marcharam unidos nas eleições majoritárias. Agora, estranhamente, no pleito que se avizinha de 2018, o grupo se dividiu. Articulador fundamental na eleição vitoriosa no primeiro turno de 2010, Ricardo Murad anunciou que vai deixar a cunhada Roseana Sarney na estrada.

O anúncio da disposição de Murad, ao contrário do que imaginam os torcedores mais afoitos, causou gargalhadas no Palácio dos Leões. pode até ser que mais tarde se reverta em lágrimas, mas no cenário atual é pouco provável.

Ricardo Murad é uma Roseana Sarney de saias, porém mais destemido e vem com a vontade de massacrar seu maior adversário, o homem que lhe quer olhar na cadeia: Flávio Dino.

Esse ódio no combalido coração de Murad pode oxigenar ou atrapalhar todo o plano se a estratégia for dividir para somar depois em eventual segundo turno.

O cunhado de Roseana não enxerga nem o céu como limite. Se, por acaso, os ventos aparecerem por frações de segundos favoráveis, a pipa do cabra levanta e todos virarão inimigos, inclusive Roseana.

O senador José Sarney, em 2002, quando defendia o nome do vice José Reinaldo Tavares para governador, deu um puxão de orelhas na preocupação do seu escolhido com a oposição.

-Se preocupe apenas com os movimentos do nosso grupo- disse o guru. Tavares ganhou a eleição com a oposição dividida e Sarney esqueceu do princípio da união do seu grupo e o governador vitorioso jogou merda no ventilador e deu no temos visto: os Sarney fora do poder.

Pela primeira vez a oposição ao grupo Sarney se dividiu na eleição de 2006, perdeu, mas levou a eleição para o segundo turno, como mostra o quadro abaixo:

Candidatos a governador do estado Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Roseana Sarney
PFL
João Alberto de Souza
PMDB
25
Maranhão: a força do povo
(PFL, PMDB, PTB, PP, PSC, PL, PV, PRP, PTN, PHS, PRTB)
1.282.053
47,21%
Jackson Lago
PDT
Luís Carlos Porto
PPS
12
Frente de Libertação do Maranhão
(PDT, PPS, PAN)
933.089
34,36%
Edson Vidigal
PSB
Teresinha Fernandes
PT
40
O povo no poder
(PSB, PT, PCdoB, PMN, PRB)
387.337
14,26%
Aderson Lago
PSDB
Conceição Formiga
PSDB
45
Libertar para Desenvolver
(PSDB)
93.651
3,45%
João Bentivi
PRONA
Danilo Reis
PRONA
56
PRONA (sem coligação)
11.987
0,44%
Carlos Saturnino Moreira
PSOL
Nonato Masson
PSOL
50
PSOL (sem coligação)
6.159
0,23%
Antônio Aragão
PSDC
Domingas Nogueira
PSDC
27
PSDC (sem coligação)
1.534
0,06%
 
No segundo turno, o governo travestido de oposição, se uniu e ganhou a eleição de Roseana Sarney, como mostra o resultado abaixo:
Candidatos a governador do estado Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Jackson Lago
PDT
Luís Carlos Porto
PPS
12
Frente de Libertação do Maranhão
(PDT, PPS, PAN, PSB, PT, PSDB, PSOL, PMN, PRB, PCdoB)
1.393.754
51,82%
Roseana Sarney
PFL
João Alberto de Souza
PMDB
25
Maranhão: a força do povo
(PFL, PMDB, PTB, PP, PSC, PL, PV, PRP, PTN, PHS, PRTB)
1.295.880
48,18%
 
Agora, o grupo de Flávio Dino vai com apenas um candidato a governador, ele próprio, e se dividiu, até agora, na eleição para senador.
Roseana, que tinha tudo para ser candidata única do seu grupo, preferiu ou foi obrigada a aceitar a divisão, e quem sabe, talvez nem saia candidata.
Coisas da política maluca do Maranhão. Vamos aguardar!
blog luis cardoso

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *